Wagner Silva – Adão

  Nome Completo: Wagner Moreira Silva

Idade: 22 anos

Cargo na Escola: Destaque – Adão (Canraval 2013)

Hobby: Praticar Esportes e Estudar. Não basta ter só a beleza exterior, mas sim também a beleza interior.

Frase/Lema de vida: Acredite, corra atrás, a única coisa que existe entre você e o seu sonho é o seu medo.

 

 

Como e quando começou sua vida de modelo?

Desde os meus 20 anos realizo alguns trabalhos como modelo, desfiles, campanhas, fotos, figurações, dentre outros trabalhos.

 

Quais títulos você conquistou?

Participei em Abril deste ano do MMM onde fiquei entre 5 finalistas. Agora em Novembro participei do MISTER MODEL BRASIL, onde fui eleito como primeiro colocado no concurso.

 

 O que faz para manter o corpo?

Dieta balanceada e academia. Além de esportes, volêi e futebol.

 

Como sua namorada lhe dá com o assédio feminino? 

Ela é muito compreensiva, está sempre ao meu lado e me apoia em todas as decisões. Em relação ao assédio, ela entende que eu tenho as minhas fãs, e esse assédio é uma consequência do sucesso. Ela sabe que é um tipo de assédio inocente, onde as fãs gostam de mim, da minha figura artística querer tirar uma foto, abraçar, conversar, é uma demonstração de carinho das fãs.

 

Deixe uma mensagem para nossa comunidade:

Juntos e unidos em uma só força para levarmos o titulo do Carnaval 2013 para nossa escola de coração. É PAZ, É AMOR, É SAÚDE, É CARNAVAL, É ALEGRIA.

Fabiana Teixeira

   Nome Completo: Fabiana Teixeira

  Profissão : Apresentadora e atriz.

 

1.      Durante o BBB você destacou-se  como a mulher com mais samba no pé. De onde começou essa sua paixão pelo samba?

 Desde muito pequena a dança sempre esteve presente em minha vida, creio que puxei a meu pai, que sempre foi um grande pé de valsa.

Uma das recordações mais fortes de minha infância,é que aos domingos quando a família se reunia, após o almoço eles sempre me pediam para sambar!Rs.

 

2.      Você já desfilou na Grande Rio, como foi a experiência? O que espera da sua estreia em São Paulo?

A experiência foi fascinante, uma sensação de liberdade e de leveza,uma energia tão forte que me movimentava na Sapucaí.

Foi adrenalina e euforia pura,afinal estar ali era a realização de uma sonho, de uma vida inteira.

Espero reviver essas mesmas sensações e descobrir muitas outras, pois o carnaval é uma das minhas grandes paixões e o samba corre em minhas veias.

 

3.      Como conheceu a Tom Maior?

Uma amiga me apresentou a Escola. Me apaixonei!

 

4.      Você será destaque principal do carro abre-alas no papel de EVA. Como está sendo a preparação para assumir esse posto?

Estou intensificando o treino na academia e fazendo uma dieta alimentar.

 

5.      Quais são as suas expectativas para o concurso que escolherá o seu ADÃO?

Estou anciosa para conhecer os candidatos e descobrir qual deles será meu parceiro, afinal de contas viveremos grandes emoções juntos.

 

6.      Deixe uma mensagem para a comunidade da Tom Maior

  Estou muito feliz  e orgulhosa de estar ingressando nesta grande família que tem me recebido com tanto carinho,já me sinto parte da comunidade e espero estar com vcs por muitos e muitos anos. Obrigada Tom Maior, todo meu carinho e respeito a vcs,vamos juntos rumo a vitória no Carnaval 2013!

Guilherme Kazadi

Nome: Guilherme Kazadi

Profissão: Produtor executivo de eventos e promoções

Cargo na escola: Coord. Comissão de Frente

 

 1. Fale um pouco da sua relação com a Tom Maior (como conheceu a Tom Maior, desfila desde quando,…).

Cheguei a Tom Maior em 91, havia me mudado para uma rua próxima da antiga quadra na João Moura, e que também próxima dali tinha um clube onde o pessoal do bairro, e claro, da Tom Maior frequentavam. Como todo garoto adorava ficar no clube o dia todo, jogar futebol, piscina, etc. e comecei a me envolver com os garotos que já iam a Tom Maior como Marquinhos Meira, Tiago Meira, Mauricio Cabeça, Marcelo Silva entre outros que assim como eu estão na escola até hoje.

Como jogava bem futebol, lógico (risos), fui convidado a jogar no time da escola e com isso comecei a frequentar os ensaios, obviamente de imediato conheci o presidente Marko, e varias outras pessoas da escola e logo não teve jeito, fui muito bem acolhido e recebido, entrosei rapidamente com tudo e todos da escola, minha família era dividida entre Vai-Vai e Colorado do Brás, escolas que frequentava assiduamente, torcia sempre pelo bom trabalho, familiares com cargos de expressão, escolas onde realmente aprendi a GOSTAR de samba, mas foi na Tom Maior que aprendi a AMAR O SAMBA, VIVER O SAMBA, SORRIR E SOFRER COM O SAMBA, AMAR UM PAVILHÃO e fiz disso um estilo de vida, o meu estilo de vida.

Comecei na ala das crianças, depois bateria do mestre Paraná, ficando mais velho e conhecendo as coisas divertidas dos ensaios resolvi não ter mais compromisso na bateria, pois ficava muito tempo ensaiando e eu queria só festa (risos), mas logo a vontade de fazer e participar cada vez mais, me fez voltar aos compromissos, de lá pra cá se vão anos e anos de dedicação à escola, enfrentamos policia, prefeitura, oficiais de justiça, vizinhos chatos, muitas alegrias, muitos medos, muitas tristezas, mas sempre com a certeza que estávamos sempre progredindo, que nossa escola era diferenciada, que iríamos despontar no carnaval e que as pessoas iriam conhecer e respeitar nosso pavilhão. Ver o patamar em que a escola esta hoje é emocionante e tenho um orgulho incrível de fazer parte desta historia, depois da triste perda do “presi” costumo dizer com alguns amigos da escola que o grande feito do eterno presidente Marko não foi gerir a escola com a garra que teve desde 16 anos de idade e sim vender e convencer o máximo de pessoas que seu sonho era possível de se tonar um sonho de todos, e com seu carisma, sua dedicação, perseverança e sua eterna frase “Quem corre atrás do que gosta não cansa” ele fez isso com maestria e excelência, por isso todos que experimentam o gostinho de ser Tom Maior um pouco que seja dificilmente desiste, e passa a dedicar seu coração ao crescimento da escola… E que assim seja sempre. Obrigado Presi Marko!!!!

2. Como é ser da Comishow?

Desde garoto sempre gostei de musica, dança, representar, toda forma de arte, enfim sempre gostei de aparecer… Artisticamente (risos)… E dentro do samba via tudo isso nas comissões de frente, a que me fez ficar apaixonado pelo setor foi à comissão da Imperatriz Leopoldinense nos anos 90, principalmente as sensacionais em 94 e 95 com os leques e depois com os guarda-chuvas, foi incrível! Neste período íamos muito a varias escolas com o presidente Marko, escolas pequenas, e obviamente, escolas tidas como a elite do carnaval paulistano, e eu ficava “pirando” como era muito legal ver os caras dançando, tirando onda nos

ensaios, andando sempre juntos, e era notável o prazer daqueles caras de ser da casa, fazer a correria na escola do coração e eles faziam tudo com muita alegria e prazer.

Então surgiu um problema na comissão “alugada” da Tom, tínhamos apenas o Ricardo Sono que era da escola mesmo, faltaram componentes para o desfile do ano, então eu e o Tiago Meira decidimos entrar e a partir daquele ano não depender mais de pessoas que não fossem da escola e montar a verdadeira comissão da Tom Maior. Falamos da nossa ideia com o presidente Marko ele não apenas apoiou mas acreditou naqueles moleques com sangue nos olhos, loucos pra fazer acontecer. Chamamos os amigos do bairro que gostavam e tinham desenvoltura, habilidades para dança e fomos pra cima. Montamos um time só de amigos, com pessoas que eram da escola de verdade, todos a fim de ajudar a escola crescer. Desta época eu sou o único que ficou até hoje, porem o mais importante, o que mais valeu foi à essência que este grupo introduziu e deixou, graças à coragem daqueles 3 “moleques” caras de pau, hoje a comissão de frente da Tom Maior e genuinamente da Tom Maior, tem identidade, tem reconhecimento no mundo do samba e é um grupo maravilhoso, unido, com pessoas comprometidas e será sempre esta nossa essência.

Sempre achei que algumas coisas precisam mudar para progredir e depois de muitos anos de comissão, atuando efetivamente nos desfiles, achei que estava na hora de deixar meu lugar para pessoas a fim de chegar com a mesma vontade e disposição, fazendo crescer a família, mas foi uma decisão bem difícil a tomar porque amo demais a comissão, as correrias dos nossos ensaios, foram muitos anos neste ritmo frenético, estava completamente acostumado, mas com a experiência que adquiri decidi sair da “pista”, mas poderia atuar nos bastidores, na organização do grupo, na parte burocrática que temos que ter para que eles só pensem na coreografia, de certa forma vinha a alguns anos acumulando esta função, mas 2012 foi o ano da virada, resolvi focar na coordenação de setor e graças a Deus este primeiro ano foi muito bom, pessoas novas entraram e agregaram muito, tive a oportunidade de participar na contratação do coreografo novo, um cara espetacular e de um talento descomunal, que já havia trabalhado conosco como convidado em 2011 atuando na comissão como São Bernardo e este carnaval assinou a coreografia. Hoje me sinto preparado para assumir esta parte dos bastidores do setor e realizado em participar por tantos anos como componente direto da comissão, enfim acabando um ciclo e começando outro, mas o principal renovando os ânimos, sempre com todo amor e disposição em ajudar no crescimento da nossa amada escola, rumo ao titulo do carnaval.

3. Em sua opinião, qual o carnaval inesquecível da Tom Maior?

Se falar em desfiles da comissão o desfile inesquecível foi em 2009, ano que falamos de Angola. Foi um trabalho espetacular, trabalhamos com o Luis Mario para mim um dos, se não o melhor coreografo de SP e que trabalhamos, obviamente sem desmerecer aos que passaram pela casa como Irineu Nogueira, que nos ensinou muito e foi extremamente importante para a afirmação da comissão da frente da Tom Maior para a própria comunidade e no cenário do carnaval, sem ele ainda estaríamos engatinhando, e também o atual Alex Moreno que pra mim é a inovação que o carnaval e a Tom Maior precisam, nossa comissão crescerá absurdamente com o trabalho dele, já foi assim este ano e muito em breve será o melhor coreografo de Sp, mas o Luis Mario conseguiu arrancar de nós uma excelência de interpretação que impressionou a nós mesmo, não somos atores profissionais, bailarinos profissionais, mas ele tirou de nós o Maximo e ficou realmente emocionante, era lindo ver pessoas na arquibancada chorando, paralisadas com a apresentação, foi lindo. Com certeza se estivéssemos em uma escola com maior expressão seriamos comentados até hoje, aquela comissão merecia um destaque maior da mídia e do mundo do carnaval, mas como nossa ideia foi sempre fazer os trabalhos de dentro pra fora, explico, primeiro é agradar a comunidade, depois o publico, depois os jurados e por ultimo a mídia (que pouco sabe e se interessa a não ser que tenha bunda

ou algum projeto de sub-celebridade alienada em algum setor da escola), porem o importante foi que a comunidade adorou o trabalho, muitos nos elogiaram e nos elogiam mesmo três anos depois, foi à comissão mais incrível de todo tempo que estou na escola.

Falando do carnaval da escola no geral, o inesquecível foi em 1995 “Made in China. O papel do papel” foi demais, campeão do acesso, minha primeira vez com a escola do coração no grupo especial, sensação única pra que fez parte e ajudou no crescimento da escola pra chegar até aquele momento áureo. Incrível!

4. O que considera de melhor e pior no carnaval de São Paulo?

O melhor do carnaval de São Paulo é o simples fato da existência dele, vejo um crescimento, algumas coisas se estruturando, se profissionalizando nas escolas, mas realmente o que falta para o carnaval de São Paulo e ele ser tratado com respeito, por pessoas que gostam e entendem de carnaval, pessoas que conhecem sua historia, mas que também tenha visão inovadora, renovadora, é claro que respeito à tradição, mas não da mais para o carnaval e agremiações serem lideradas por pessoas que em nome desta “tradição” são capazes de passar por cima do próprio carnaval apenas para ganhar um titulo de campeão, eles acabam não querendo a disputa na pista, no sambódromo, eles querem a disputa do poder, do “quem manda mais”, “lei do mais forte”, “antes ele do que eu”, sendo assim o “mundo ilícito” toma conta das escolas e cada vez mais do carnaval de São Paulo. Não tenho nada contra, pois cada um escolhe o rumo que quer, e até posso dizer que indiretamente este muito faz parte da minha historia no samba, mas dentro do carnaval não rola e não acho certo, muitos que estão no comando são atrasados, limitados e tratam o carnaval como propriedade particular, mas ele é do povo, da massa. Não podemos aceitar a palhaçada que aconteceu na apuração de 2012, tenho muitos amigos que não são do samba e foi extremamente vergonhoso e constrangedor ter quer me explicar para eles que o carnaval que eu tanto falo, participo, vivo e amo não é feito apenas por babacas e despreparados como aqueles daquele do fato e sim por centenas de pessoas de família, inteligentes, educadas, apaixonadas por suas escolas, seus pavilhões, mas verdadeiramente amantes do samba e da disputa saudável.

O dia que o carnaval se profissionalizar e ser cuidado com novas ideias, por pessoas sérias, certamente cresceremos com força, pois o carnaval de São Paulo é um produto que vende muito bem, é forte. O Rio de Janeiro há anos sabe que seu carnaval é um produto valioso e todos sabem o tamanho da força do carnaval carioca. Por que nos desfiles do RJ muitas pessoas, de outros Estados, que nem são do carnaval gostam de acompanhar mesmo que pela TV? Porque as pessoas que dirigem o carnaval carioca não faz carnaval apenas para o “nego véio”, para o “malandro”, e sim para o publico, mas enfim, o fato é que temos muito potencial, precisamos ver o carnaval na mão de pessoas capacitadas, o trabalho precisa ser feito a varias mãos, todos falando a mesma língua e entrosados, prefeitura, liga, agremiações, comunidades, tudo em prol do carnaval de SP e não do próprio umbigo. De qualquer forma eu acredito que uma hora tudo se encaixará e veremos o progresso do carnaval paulistano. Vambora!!!

Juliana Casitas

 Nome completo: Juliana Casitas Burgato

Profissão: Bacharel em Direito

Cargo na escola:Funcionária Publica

 

 

1. Fale um pouco da sua relação com a Tom Maior ( como conheceu a Tom Maior, desfila desde quanto, como chegou a escola,…).

Juliana: Bom, como todos sabem, minha mãe é uma das fundadoras da nossa Tom, portanto, sou Tom Maior a minha  vida toda. Mesmo sendo, me permaneci sem desfilar por anos, pelo fato de não termos uma quadra em um  lugar fixo e assim, como muito nova, me  impossibilitava de estar presente( ir aos ensaios e desfilar). Porem, quanto obtive uma certa idade, mais ou menos em 1994, passei a desfilar nossa escola,primeiramente em alas, no ano seguinte como destaque no carro abre alas. Assim foi até 1999, quando meu Presi, ( o chamava de “MOZÂO”) , me perguntou se eu queria desfilar na Comissão de Frente. Eu sempre pedia pra que ele mudasse a Comissão para mulheres, e ele, sempre dizia que não. Quando recebi o convite, fiquei toda feliz… até que enfim mudou…..mas pra minha surpresa, não! Eu seria a unica mulher entre 10 homens!!!!! Quase morri do coração!!!!! Era muita mistura de sentimentos. A partir daí, começou a nossa “Comishow”.

 

2.  Sabemos que durante anos você é integrante da nossa comissão de frente. Já aconteceu algum fato inusitado durante todos esses anos?

Juliana: Durante esses anos, várias coisas aconteceram em nossos desfiles…..(eu e o Gui que sabemos….) mas tudo, sempre conseguimos contornar, graças a Deus.

Em 2009, tivemos um trabalho muito intenso, muito mesmo.Viemos falando sobre os refugiados de Angola, assim, não podendo ser uma Comissão alegre. Temos um grupo muito unido, amigos e bagunceiros, assim dificultando o trabalho para aquele ano, por isso foi difícil, nunca tivemos feito um trabalho tão chocante e sério, sério no sentido de que tínhamos que passar tristeza para quem tivesse nos assistindo, foi ruim.

Bom, como figurino era super simples, roupa rasgada, suja, não havia muita preocupação………..resultado, eu e Guilherme na manhã do desfile sujando o figurino no quintal da minha casa até as 6:00hs da manhã. Figurino pronto, hora da maquiagem…me vem a maquiadora e me diz que a minha vai ser a mais fácil…( cara de refugiada, eu????? sim, estava morta!!!!!).Por fim, o trabalho foi feito perfeitamente,que até as co-irmãs elogiaram e a Comissão ganhadora do premio “TROFEU NOTA 10” daquele ano, discordaram da decisão dos jurados e reconheceram que a nossa foi a melhor a desfilar no Anhembi naquele ano.

No carnaval de 2010, a coreografia da  Comissão foi feita por pares, e cada par, vinha representando uma região do país com o figurino caracterizado. A grande surpresa  era que no meio do desfile, nossa roupa se transformava de candangos para executivos. ahahahahahah

Na hora que anunciaram a Tom Maior, nem a minha roupa, nem a do meu par estava com agente. E Alem disso, quem foi buscar as roupas, foi o Guilherme, par de outra pessoa.

Bom, só sei te contar, que naquele dia desisti de desfilar e pedi para que quem estivesse pronto, fosse para a frente da escola. Eis que me chega o Guilherme, só com a capa da minha roupa, acabando com a possibilidade de concretizar a coreografia que tanto ensaiamos e também acabando com a surpresa do desfile da Comissão. Afinal, não haveria a troca de candango para executivo.

Não havendo mais tempo pra nada, olhei para um lado, olhei para o outro e vi que a concentração estava lotada de gente! Não quiz nem saber!!! Completamente nua, eu e minha parceira tiramos um macacão, que era a unica coisa que usávamos e ali mesmo, em plena hora do jantar dos garis do Anhembi….trocamos de roupa!!! ou melhor…vestimos a capa que por baixo não havia nada e se dessemos um passo mais longo……. estávamos nuas em pleno desfile.

Tivemos que mudar a coreografia na hora do desfile, eu e minha parceira fizemos a alegria dos garis e depois de tudo dado certo,  o que foi mais legal, era eu contando pro meu marido que a concentração do Anhembi, incluindo amigos dele, me viram pelada, kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Faria tudo de novo!!!!!

 3. Na sua opinião, qual o carnaval inesquecível da Tom Maior ? E da Comishow?

Juliana: Por ter sido um trabalho hiper intenso, cheio de pressão psicologia e tendo como resultado só  elogios, coisa que nenhuma Comissão de São Paulo tenha feito, julgo o ano de 2009 ( Angola), um dos mais marcantes para nossa Comishow. Mas, 2012, que particularmente pra mim, a mais antiga na Comissão desfilar sem a presença do meu “Mozão”,que estava sempre comigo quando o locutor anunciava : ” A passarela é de vocês, arrepia rapaziada!!!” foi muito, muito, muito f……..!

 

4. Hoje o que é a “comishow” na sua vida?

Juliana: A Comissão de Frente pra mim, é um  presente que ganhei do Marko, é uma das minhas maiores alegrias. Por ela, faço qqer coisa. Fico longe da minha família, da minha filha, choro, brigo, exijo, ensaio a qualquer hora e em qualquer lugar e nada nem ninguém podera mudar esse amor. A Comishow é meu amor.

 5. Qual outra comissão de frente você admira?

Juliana : Tenho amizade e gosto todas as Comissões de Frente, sei bem o  trabalho e a dedicação que é ser de uma. Mas tem uma em especial que alem de serem  hiper carinhosos com agente , são lindos, desenvolvem um trabalho maravilhoso e alem disso tudo, são humildes…..Comissão de Frente da Mocidade Alegre. A D O R O!!!!!!!!

João Loyo

Nome completo:  Joao Loyo
Profissão:  Vendedor
Cargo na escola:  Diretor Geral de Harmonia

 

1. Fale um pouco da sua relação com a Tom Maior ( como conheceu a Tom Maior,desfila desde quanto,…).

João: Meu 1º contato com a Tom Maior foi em 1986, quando eu e minha família mudamos para um apartamento na Rua Alves Guimaraes. Meu apartamento ficava de frente com o local de ensaio da escola, esquina da Rua Cristiano Viana.  Lá tive a oportunidade de conhecer o Marko.

Nesta época arrisquei umas batidas de tamborim, época do Mestre Paraná, mas não tive sucesso.

 

2. Em 2013 será sua estréia como diretor de harmonia solo. O que espera dessa experiência?

João: Em 2013 completo 10 anos no departamento de harmonia. Desses, 4 como Diretor Geral. Nenhum carnaval é igual ao outro, mesmo com 3 anos à frente do departamento sei que existem muitas barreiras para serem quedradas.O legal é que tudo o que aprendo no carnaval levo para minha vida pessoal e profissional.

Cresço à cada dia…não tenho medo!

 

3.  O que considera como “diferencial” da  Tom Maior as outras co-irmãs?  

João:  Nosso maior diferencial é a receptividade, carisma, respeito. Isso tudo sempre foi imposto pelo nosso Eterno Presidente Marko.Hoje virou característica.Não existe quem vá à um ensaio da Tom e não volte!

 

4.  Já viveu algum momento de apuro na avenida? Se sim, conte-nos

João:  Graças à Deus nunca tive um problema muito grave na avenida, mas tive vários problemas.Em 2009, com Angola, o Abre-Alas começou à pegar fogo na avenida. Eu vi e apaguei com a mão. Me machuquei.

Em 2010, com Brasilia, desespero total, muito choro ( alegorias sem terminar), mas a escola se superou. Trabalho de quadra.Não existe desfile sem problemas. Até a escola campeã com o melhor desfile da história tem algum tipo de problema.

 

5. Na sua opinião, qual o carnaval inesquecível da Tom Maior ?

João: Tenho dois, o ruim e o bom:

Ruim – 2010 – Brasilia – Desespero total, muito choro ( alegorias sem terminar), a comissão de frente chegou na concentração depois que o portão se abriu ( a roupa não estava pronta ), metade da escola na quadra terminando fantasias e a outra metade no Anhembi terminando os carros. 3 noites sem dormir. Foi muito duro, mas a escola se superou, mostrou que é foda mesmo, comunidade forte, cantou e dançou com garra, bateria arregassou, show da ala musical, as destaques ( mesmo nas alegorias inacabadas ) me surpreenderam, a escola surpreendeu. Resultado: 10ª Lugar, continuamos no grupo especial.

Bom – 2012 – Marko – Ano da morte do nosso eterno presidente Marko. A escola muito emocionada. Todos choravam antes da largada…todos quase sem excessão. Pensei que ninguém fosse aguentar desfilar. E no ano do enredo em homenagem à ele fizemos o melhor desfile da nossa história. Desfile para voltar e desfilar no desfile das campeãs. Resultado: 7º Lugar – Gostinho de 4º…teve gente que estava dormindo e não viu.

 

6. O que  espera para o carnaval de 2013?  

O enredo é envolvente e bastante alegre. A escola precisava disso . Já estamos trabalhando pesado. Estamos confeccionando as fantasias e alegorias, vamos escolher um ótimo hino para levantar a galera.Nossa comunidade quer vencer, está intalado na garganta, sinto isso nos olhos e na voz de todos.

Será mais um show…participem!!!

Alex Moreno

 Nome completo: Alex Moreno

Profissão: Ator e Bailarino

Cargo na escola: Coreógrafo de Comissão de Frente

 

 

Como você chegou a Tom Maior?

Alex :Conheci a Tom Maior pelas mãos de uma grande amiga e uma das pessoas mais “vermelho e amarelo” que cruzei na vida… Aluã Fróes! Ela sabia do meu trabalho como coreógrafo e do meu amor por carnaval, pelo samba. Poder unir teatro, dança e um pouco de loucuras particulares seria então uma fórmula perfeita.

Em 2010 cheguei na escola  junto ao coreógrafo Jean para o desfile de 2011, além de desfilar como o São Bernardo.Depois disso, Guilherme Kazadi, outro grande parceiro, me convidou oficialmente pra ser o novo coreógrafo, assumindo a comissão do carnaval da “Paz na Terra e aos Homens de Boa Vontade”!

Assim, minha vida foi se tornando vermelho e amarelo…

 

Como foi sua estréia como coreógrafo de comissçao de frente?

Alex: A experiência de criar minha primeira coreografia pra uma comissão de frente foi um desafio, mas foi um desafio dos mais prazerosos. Uni pessoas que já faziam parte da comissão da Tom e trouxe uma equipe convidada pra “engrossar o caldo”. Tive um time de primeira e isso contribui muito para a criação de qualquer coisa. Elenco é fundamental. É parte criativa e inspiradora.

Acho que pude dar minhas primeiras pinceladas, ainda tímidas, no que diz respeito a uma coreografia de comissão. Fico feliz que o resultado tenha sido bom e que as pessoas tenham gostado do nosso trabalho, mas acredito que sempre podemos melhorar. Digo no plural porque eu não sou solo, sou dupla com minha assistente Tatiana Toyota. Desculpem, mas a melhor assistente do mundo! rs

 

Ser ator, ajudou a compor a coreografia?

Alex:O fato de ser ator ajuda muito no desenvolvimento e criação de uma coreografia. Isso me dá uma visão mais geral e dramática da coisa toda. Não é uma coreografia, é uma história a ser contada, e se essa história puder ser muito interessante e inventiva, melhor ainda.

 

 

Quem é seu maior ídolo no carnaval e nos palcos?

Alex: Meu maior ídolo no carnaval hoje em dia é Paulo Barros (Tijuca-RJ). Digo hoje em dia porque nem sempre foi. Pra mim é impossível falar de carnaval sem falar de Joãozinho Trinta. São admirados porque ousaram. Fizeram diferente. Em algum momento fugiram da regra, criaram uma nova estética, e isso é absolutamente sedutor pra mim.

Já nos palcos, eu passaria a vida assistindo Denise Stoklos. Sou completamente apaixonado pelo seu trabalho. É revelador, me inspira muito. E em dança, não passem pela vida sem assistir qualquer trabalho do Grupo Corpo, e se puderem, assistam Lecuona. É o meu favorito!

 

 

Qual carnaval da Tom Maior você considera inesquecível? 

Alex: Não só pelo fato de ser recém chegado à Tom Maior, mas acredito que o carnaval inesquecível pra mim foi esse de 2012, afinal não é sempre que se estréia coreografando uma comissão de frente! rs

Sei que vou me repetir, mas para o carnaval de 2013 espero ser mais inventivo, mais ousado e mais divertido. Espero poder servir ao tema e que ele caia como uma luva em mim. Espero que sejamos felizes! Sempre!

Rodrigo Ferper

Nome completo: Rodrigo Ferper

Profissão: Fisioterapeuta

Cargo na escola: Destaque

 

1.Fale um pouco da sua relação com a Tom Maior ( como conheceu a Tom Maior,desfila desde quanto,…).

R. Cheguei a Tom Maior no ano de 2005 durante a preparação para o carnaval de 2006, vim junto com o meu amigo carnavalesco Marco Aurélio Ruffinn (já desfilava para o Marco desde 2002 em outra escola). No ano de 2006 foi meu primeiro desfile pela Tom, já como destaque e, desde então, não sai mais. A Tom é uma escola acolhedora, amiga, proporciona um ambiente familiar onde as pessoas se sentem em casa.  Antigamente desfilava por diversão em várias escolas, na Tom Maior aprendi a entender o Carnaval. Hoje posso dizer que faço parte desta comunidade. Essa é minha escola de samba. Sou Tom Maior de coração.

 

 

2.Na sua opinião, qual o carnaval inesquecível da Tom Maior ?

R. Já são sete carnavais pela Tom, todos foram emocionantes, cada um com sua particularidade. Mas em 2008 foi sensacional, a Tom trouxe um enredo maravilhoso, o desfile foi lindo, levantamos a arquibancada e alcançamos o quinto lugar no carnaval voltando ao desfile das campeãs. E particularmente, nesta ocasião foi o melhor posicionamento de destaque que desfilei até hj, pois tinha um espaço maior pra sambar proporcionando melhor contato com o público.

Deu até noticia. “risossss”

 

3.O que espera para o carnaval de 2013?

R. A ansiedade é enorme, não vejo a hora de começarmos os ensaios. O enredo para 2013 foi uma escolha espetacular e promete. Tenho certeza que a Tom chegará nas cabeças em 2013, com este enredo e com o melhor carnavalesco de todos os tempos não resta dúvidas de que a Tom fará o melhor desfile de toda os seus carnavais.

 

Beth Balboni

  Nome completo: Beth Balboni

  Profissão: Publicitária

  Cargo na escola: Diretora

 

1. Fale um pouco da sua relação com a Tom Maior ( como conheceu a Tom Maior,desfila desde quanto,…).

Conhecia a saudosa Dona Nilce (mãe do Marko) já ha algum tempo, pois minha tia era sua vizinha. Em 1987 me mudei pra Pinheiros, para o mesmo lugar em que morava minha tia e acabei fazendo amizade com o Marko e a turma que era da Tom Maior na época e me encantei com tudo aquilo e principalmente pela inteligência, criatividade e simplicidade do Marko, e por consequência conheci o carnaval e todas as dificuldades por que passava a escola na época, abracei a escola e desde então é meu único pavilhão. Durante muitos anos eu fui a companheira inseparável do Marko, ajudando sempre no que me era possível, muitas vezes representando ele nas reuniões da Liga das Escolas de Samba, visitando outras quadras, e sempre, junto com ele, procurando um espaço para que a Tom Maior pudesse finalmente ter sua quadra própria, pois este era o maior sonho do Marko e da comunidade Vermelho e Amarelo. Por fim, minha amizade com o Marko se tornou quase que um casamento, chegando ao ponto de só de nos olharmos já sabiamos o que o outro precisava, além da cumplicidade.

 

2.  Qual situação mais inusitada que viveu no caranaval?

Foi em 2003, estavamos terminando as alegorias praticamente na hora em que a escola ia entrar. Eu estava em cima de uma alegoria acabando de colar o tecido, me lembro bem que era um “Tanque de Guerra”, a escola já estava formada e eu toda suja, cheia de tinta, quando tocou a última sirene. Meu carro acabou ficando dentro da concentração, em um canto da baia da Tom Maior e eu, no desespero de entrar junto com a escola, corri pro carro e, não me pergunte como, me troquei lá dentro e com tamanha rapidez que acho que nunca mais consiguiria realizar tal proeza.

 

3. Na sua opinião, qual o carnaval inesquecível da Tom Maior ?

Foi em 1995. Faltando 15 dias para o carnaval, a Tom Maior teve seus carros alegóricos, quase prontos, todos “picotados” e despejados dos baixos do viaduto da Rua João Moura (na época era lá que faziamos as alegorias e os ensaios), pela Administração Regional de Pinheiros.

Os restos das alegorias foram levados para um terreno, sem qualquer infra estrutura, próximo ao Parque Villa Lobos e, ao invez de nos lamentarmos, fomos à luta e faltando apenas 15 dias para o carnaval refizemos todas as nossas alegorias, debaixo de um sol escaldante, sem dinheiro, com pouquíssimo material, chegando a ir, depois que as escolas do grupo especial saiam das baias para desfilar, pegar restos de cola para poder terminar os nossos carros.

Acho que a nossa energia nesta batalha foi tão forte que naquele ano acabamos sendo campeões.

Gostaria de citar, também, o carnaval em que a Tom Maior homenageou Angola, que pra mim foi inesquecível e o carnaval deste ano, quando pela primeira vez saímos sem o nosso querido Marko Presi, e onde a emoção tomou conta de todos, além de sentir uma energia sem igual.

 

4. O que considera de melhor e pior no carnaval de São Paulo?

De melhor a garra das escolas, pois é bastante complicado fazer carnaval com pouca verba, mas mesmo assim tenta-se fazer o melhor.

O pior eu considero que seja a falta de união para lutar por melhores condições de barracões, de quadras e de apoio efetivo a projetos sociais.

Tania de Oliveira

   Nome completo: Tania de Oliveira

   Profissão: Apresentadora

  Cargo na Escola: Madrinha de Bateria (de 2008 a 2014)

 

 

 

1. Fale um pouco da sua relação com a Tom Maior ( como conheceu a Tom Maior,desfila desde quanto,…).

Tania : Minha paixão pelo Carnaval começou como telespectadora, via tudo pela tv e ficava encantada, morrendo de vontade de estar na avenida. O passo seguinte foi passar a acompanhar os desfiles das arquibancadas do Anhembi até conhecer pessoalmente uma agremiação onde desfilei de 2000 a 2007. No ano seguinte, em 2008 conheci a Tom Maior e me encantei com a agremiação. Em 2013 completarei o meu sexto ano de desfile na querida Tom Maior.

Lembro exatamente do primeiro dia que entrei na quadra da nossa vermelha e amarela. Fui tão bem recebida pelo querido e saudoso Marko… Selminha e Ernani também ficaram me apresentando a escola e me fazendo companhia o tempo todo naquele dia, foi tanto carinho que me apaixonei logo de cara e prometi ao Marko que só sairia da Tom se me mandassem embora. Tenho certeza que nosso presidente nos deixou em paz e feliz por ver o espetáculo que nossa escola apresentou nos desfiles de 2011 e 2012.

2.  Você foi coroada madrinha da bateria. Como é ter essa responsabilidade?

Tania : Foi um verdadeiro presente… Nem sei explicar. Sempre fui muito feliz em todos os postos que o Marko me colocou na escola, mas realmente ser Madrinha, foi algo que me surpreendeu. Estreiar na bateria Sensação, justamente num enredo tão especial, substituindo uma madrinha que tinha desempenhado fantasticamente seu papel, me deu um frio na barriga absurdo. Fiquei muito feliz pela confiança da Presidente Luciana, Marcus Campos, Mestre Carlão, toda a diretoria, por Andréa e Pamela dividirem seu espaço comigo de uma forma tão bacana e harmoniosa, e pelo Chico que me ajudou tanto num momento de tamanho nervosismo e ansiedade e assim acabou se tornando mais um grande amigo entre tantos que fiz na Tom Maior. Me sinto à vontade… Tom Maior é a extensão da minha casa, e nela me sinto MUITO FELIZ!

 

 3. Na sua opinião, qual o carnaval inesquecível da Tom Maior ?

Tania : Pra mim, dos carnavais que participei, os que me marcaram mais foram: o de 2009 (Uma nova Angola se abre para o mundo…) extremamente emocionante, samba lindo, a comissão tristemente linda, foi demais. E o de 2012 (Paz na Terra e aos homens de boa vontade) que foi inexplicavelmente especial, uma energia incrível, por motivos que todos nós da comunidade sabemos bem!

 

4.Você é uma madrinha extremamente participativa. O que acha daquelas que só dão as caras no carnaval? 

Tania : Acredito que o primeiro passo para ser participativa e presente é AMAR carnaval. Quando falo da Tom Maior, falo com muito orgulho, com o coração e emoção. Acabei me envolvendo bastante com a escola, e adoro isso. Participo de tudo o que está ao meu alcance… Gostaria de poder fazer muito mais. Na minha opinião, não basta ser musa, madrinha, rainha, tem que participar. Gosto de levar amigos para a quadra da Tom e muitos acabam se apaixonando e desfilando também. A maioria deles nem sabe que o carnaval leva quase o ano inteiro para ser construído, e por isso acho que tanta gente deixa pra frequentar e participar praticamente às vesperas do desfile.

 

 

Deixo aqui meu grande beijo e minha enorme gratidão por todo o carinho que recebo da comunidade. Guardo com amor cada olhar de carinho das queridas baianas, cada abraço apertado e cada palavra de amizade dos amigos incríves que ganhei na vermelha e amarela e que quero levar pra vida toda, são tantos nomes que nem dá pra citar… E que nosso 2013 seja espetacular, pois carnaval está acima de qualquer definição… Todos os sonhos, alegrias e toda a imaginação cabem nele. Foco, força e fé, Tom Maior!

Alessandra Bispo

Nome Completo:  Alessandra Bispo

 Profissão: Gerente de Contas

Cargo na Escola: Coordenadora de Destaques

 

1. Fale um pouco da sua relação com a Tom Maior ( como conheceu a Tom Maior,desfila desde quanto,…).

Alessandra: Conheci a Tom Maior em 2004, através do meu primo, Guilherme, que na época era um dos  integrantes da Comissão de Frente, ele me convidou para conhecer a Tom Maior (começo da Eugênio de Medeiros), e como era show do Reinaldo no dia, resolvi ir.

Nesse dia fui super bem recepcionada por todos, logo de cara percebi que aquela escola tinha uma atmosfera diferente das outras, até que conheci o Marko, nosso eterno Presí, com sua latinha de cerveja na mão, sua toalhinha e com um “oi, tudo bem? Seja muito bem vindo a Tom Maior”.

A partir de então comecei a frequentar os ensaios, uma coisa era nítida naquele ambiente todos que chegavam eram recepcionados por um Presidente que fazia questão de estar no meio dos seus componentes. Já havia frequentado várias Escolas de Samba, afinal aprendi a gostar de Escola de samba desde criança, graças ao meu falecido primo Serjão que foi um dos Fundadores e Interpretes da Colorado do Brás. Posso afirmar com toda certeza que a Tom me trouxe as melhores coisas, dentre elas aprender com o meu Presidente o significado das palavras “RESPEITO”, “respeito ao próximo”, “respeito às diferenças”, e a entender que realmente “Quem corre atrás do que gosta não cansa”, foi na Tom Maior que eu conheci os meus melhores amigos, pessoas que eu vou levar comigo o resto da vida, foi na Tom Maior que eu aprendi o que é amar um Pavilhão, e a se dedicar a fazer alguma coisa, não pq vc está ganhando para isso, mas sim pq vc gosta e quer estar ali, meu coração já é Vermelho e Amarelo e com certeza me vejo desfilando na Velha Guarda da Escola.

 

2.  Como é ser coordenadora de destaque?

Alessandra: O convite para fazer parte da Coordenação de Destaque veio em 2007, através do Marko Antônio e do Jadyr Prates, na época eles estavam precisando de pessoas de confiança para ajudar nesse Departamento, como já estava bem envolvida com a Tom Maior resolvi aceitar. Trabalhei com o Jadyr até o Carnaval de 2010. Em 2010 devido algumas mudanças no Departamento recebi o convite para trabalhar junto com o Marcus Campos para o Desfile de 2011 e em 2012 assumi de vez a Coordenação com o apoio total do Campos.

Adoro ser Coordenadora de Destaques, e estamos cada dia mais sendo uma base sólida e bastante respeitada dentro da Escola, afinal somos a parte que da “Vida” as Alegorias, é um Cargo de extrema responsabilidade, desde a captação de Elenco, produção e entrega das Fantasias até a preparação dos Destaques para o Desfiles e montagem seus respectivos queijos no dia do Desfile, pois se uma coisa sair fora de hora pode atrasar a Escola inteira e custar o trabalho de um ano inteiro. Apesar disso tudo amo o que eu faço e amo meus Destaques, um por um que se dedicou a abraçou a causa junto comigo dentro da Tom Maior. Falo para todos que quando a Escola está montada para entrar no Sambodrómo e vc ver que tem um pouco do seu trabalho e dedicação para aquilo acontecer é uma sensação ímpar.

 

4. Na sua opinião, qual o carnaval inesquecível da Tom Maior ?

Alessandra: Sem dúvidas o Carnaval de 2012. Foi um Carnaval de Superação para todos nós, pois como foi dito na quadra estavámos acostumados a fazer o carnaval com o Marko e em 2012 o nosso Carnaval foi única e exclusivamente para ele. Só quem esteve presente nos ensaios e desfilou conosco sabe o que significou ver a Escola linda e pronta na Avenida. Calamos a boca de muita gente que desacreditou e apontavam a Tom Maior como a principal para ir ao rebaixamento. Mostramos que com uma Presidência, Diretoria e Comunidade envolvida e dedicada em fazer o melhor não tem como o trabalho não sair bem feito. Podemos não ser uma Escola considerada “grande” mas mostramos sim que aprendemos e sabemos fazer Carnaval.

 

 4-  Na sua opinião, qual a principal diferença do carnaval paulistano para o carioca?

Alessandra: O Carnaval de São Paulo vem crescendo cada vez mais cada ano que passa e se tornando cada vez mais reconhecido, porém acho que ainda falta um pouco de preparação para alguns jurados na hora da nota, infelizmente a caneta pesa e acaba prejudicando algumas Escolas. Coisas como que aconteceu na apuração desse ano não podem mais se repetir, eu me senti envergonhada com o ocorrido, chegar no meu trabalho, na minha família e para alguns amigos e tentar explicar o que ocorreu foi triste.

Acho que o Carnaval de São Paulo merece ser tratado com mais respeito pelos Dirigentes, pelas Emissoras (pois a cobertura dos Desfiles, foi muito falha), e todos entenderem que a cada ano a disputa está mais acirrada, não existe mais essa coisa de Escola “Pequena”, todos que entram para o Desfile chegam com chances reais de Título. Amo o Carnaval e espero que ele seja tratado com o devido respeito que todas as Agremiações merecem!

Mestre Carlão

  Nome completo: Carlos Alves

  Profissão: Empresário Automobilístico

  Cargo na escola: Diretor de Bareria (Mestre de bateria)

 

1. Fale um pouco da sua relação com a Tom Maior ( como conheceu a Tom Maior,desfila desde quanto,…).

Mestre Carlão: Cheguei na Tom Maior em 1991,  atravez de um amigo que morava no bairro do Sumaré. Durante todo esse tempo, ao certo oito anos  desfilei como ritmista e posteriormente assumi o comando da bateria (1999) Estou indo para o meu  vigésimo segundo desfile.

 

2.  Como é se dividir entre as pistas e o sambódromo?

Mestre Carlão:  A emoção é forte em ambos desafios, o automobilismo é razão, na bateria Tom Maior é paixão!!!

 

3.  Nossa bateria é considerada uma das melhores de São Paulo, certamente o sucesso compete a você e aos seus ritmistas.  Na opinão de mestre, o que faz diferente as baterias cariocas das paulistanas?

Mestre Carlão: Nossa bateria hoje é reconhecida graças a força do nosso grupo, diretores, ritmistas e apoios, estão sempre sincronizados e sempre querendo dar a melhor sustentação para a escola . É essa a nossa marca registrada,  resumindo nossa bateria está  sempre pronta para dar show. A grande diferença das baterias do Rio de Janeiro  para São paulo, são os estilos, acredito que as baterias de São Paulo evoluiram muito e são do mesmo nível das cariocas.  

 

4. Na sua opinião, qual o carnaval inesquecível da Tom Maior ? Qual melhor ano da Tom 30?

Mestre Carlão: Com  toda certeza o carnaval 2012 vai ficar na historia,foi uma grande homenagem ao Marko (presidente da Tom Maior que faleceu em 2011 vítima de leucemia) e com certeza todos componentes da  Tom deram o máximo de si para realizarmos o grande desfile.Já a Tom 30 vem realizando grandes desfiles, a cada ano o conjunto da obra está melhorando,então o melhor ainda está por vir!!Aguardem 2013 (risos)!

 

5. Qual seu maior sonho dentro da Tom Maior?

Mestre Carlão: Realizar todos os anos desfiles competitivos em que cada componente entre e saia feliz da passarela,  com isso  a Tom Maior  vai crescer e se solidificar como uma das grandes agremiações do carnaval paulistano.

 

Val Lora

  Nome completo: Valeria Diniz 
  Profissão: Relações Públicas

  Cargo na escola: Coordenadora da Ala de Passistas

1. Fale um pouco da sua relação com a Tom Maior ( como conheceu a Tom Maior,desfila desde quanto,…).

Val: Conheci a TOM MAIOR no ano de 1997 através de um convite feito pelo Dinho que era Coordenador de Ala na época, quando desfilei pela primeira vez. Desfilei mais 3 anos seguidos e parei, porém sempre acompanhei e torci pela escola. Em 2008, vi no site da TOM que teria aula de samba para novas passistas e fui até a quadra que era em Pinheiros para “somente” assistir a aula. Desde então, desfilo pela Ala de Passistas.

2.  Como é comandar o nosso grupo de passistas? Qual foi sua maior  dificuldade? Comanda  o grupo desde quando?

Val: Comandar o grupo de passistas pra mim, é a realização de um sonho. Sempre quis fazer algo pela escola que criasse um diferencial e como acompanhei a evolução da Ala desde 2008, ver como ela mudou para melhor, me enche de orgulho! Mas é um trabalho contínuo e de equipe. Tanto motivacional quanto em propostas de melhorias, sempre divido com o grupo e busco nele, as melhores maneiras de agirmos. Talvez este seja o segredo de termos uma equipe que chamamos de “família”.

Comecei a coordenar a equipe de passistas em agosto de 2011, minha maior dificuldade pessoal, foi adquirir credibilidade perante a escola toda em tão pouco tempo, assumindo o lugar de uma gestão que já tinha feito um ótimo trabalho e já estava nesta função há anos. Tive muito apoio da direção da escola e recebi muitas dicas e até críticas, que me ajudaram muito nesta fase inicial. A nossa maior dificuldade como grupo, será a partir deste ano. Pretendemos deixar de ser uma Ala de Passistas comum para nos tornarmos uma Ala de Passistas referência. Quero tornar a Ala mais profissional, quero despertar o desejo de outras passistas de outros lugares a quererem fazer parte do nosso grupo. Assim como acontece nas principais escolas do grupo especial.

 

3. Qual a principal diferença entre as passistas paulistas para as cariocas?

Acho que as passistas paulistas são mais contidas, ousam menos mas nem por isso perdem em charme e samba no pé. Apenas possuem estilos diferentes.

4. Na sua opinião, qual o carnaval inesquecível da Tom Maior ?

Val:Com certeza o deste ano, quando vi minha equipe perfeita, com a fantasia completa entrando na avenida e arrasando do início ao fim do Anhembi! Chorei “por dentro” de emoção,  durante todo o desfile!

 

5. O que considera de melhor e pior no carnaval de São Paulo?

Val:Não avalio como pior ou melhor, acredito que o carnaval de São Paulo é grandioso, muito bem organizado e tende a melhorar cada vez mais.

Este ano tivemos um fato isolado e vergonhoso na apuração mas que já houve a punição que acharam que seria o correto a aplicar e portanto está resolvido. 2013 está a caminho e já estamos trabalhando para fazer um Carnaval inesquecível e vitorioso! E isso é o que importa!

Waleska Gomes

  Nome completo: Waleska Gomes

Profissão: Bailarina

Cargo na escola: 2ª Porta-Bandeira (deixando o cargo em 2014)

 

1. Fale um pouco da sua relação com a Tom Maior ( como conheceu a Tom Maior,desfila desde quanto,…).

Conheci a Tom Maior,atráves da Fernanda Oliveira,que na época  passou o cargo que assumi como Segunda Porta-Bandeira,onde conheci o Presidente Marko que por coincidência ele era um grande amigo dos meus pais. E hoje passados seis anos a Tom Maior se tornou uma grande familia no meu coração.

2.  O que é ser uma porta-bandeira para você?

Ser Porta-Bandeira pra mim,é uma Honra muito grande,é a minha Vida,meu Orgulho ,oque eu mais gosto de fazer.Costumo  dizer aos meus alunos,que voce não Vira Porta-Bandeira,você nasce.É um trabalho muito difícl,onde nem todas as pessoas sabem,e reconhecem.Uma responsabilidade muito grande,onde há muita dedicação.Sou uma eterna apaixonada pela arte,faço parte dos Instrutores da Associação de Mestre – Sala e Porta-Bandeira de São Paulo com muito orgulho e pretendo cada dia mais aprofundar – me nessa grande paixão de ser uma Porta-Bandeira.

3. Sua vida também é aliada a dança clássica – comente um pouco sobre isso

Desde criança faço aulas de ballet.Parei por um tempo e voltei a fazer aulas na  Feeling Cia de Dança que atualmente é minha escola.Pratico todos os tipos de dança inclusive o ballet clássico.Estou em formação como bailarina profissional e  atuo como professora dando aulas de baby class.O ballet clássico ajuda muito,como porta bandeira consigo corrigir a postura como: linhas de braço,marcações de cabeça,tornando a dança limpa, trabalho nas aulas,a força das pernas,que ajuda principalmete no Desfile pois as fantasias costumam ser pesadas e exige um condicionamento físico, por isso durante o ano, exerço a dança clássica.

4. Na sua opinião, qual o carnaval inesquecível da Tom Maior ?

Todo desfile é uma emoção diferente,sempre fico emocionada em todos os desfiles,porém o deste ano,foi inesquecível na minha história.Minha fantasia representava a Homenagem ao nosso eterno presidente Marko. A saudade e a vontade de fazer um belo desfile para ele foi uma emoção muito forte.Foi um desfile que apesar das saudades ,a homenagem foi feita para ele,lindo!

5. Qual seu maior sonho dentro do carnaval?  

Meu maior sonho dentro do carnaval é claro, ser Primeira Porta-Bandeira, conseguir a nota máxima e o Estandarte de Ouro no ano da minha estréia.Díficil? Sim mas estou dando o meu melhor porque  tenho fé,e trabalho por isso…Muito obrigada Familia Vermelho e Amarelo … Mil beijos…..

Marcus Campos

 

  Nome Completo: Marcus Campos

Profissão: Consultor de RH

Cargo na Escola: Diretor de Carnaval e Assistente da Presidenta

1. Fale um pouco da sua relação com a Tom Maior ( como conheceu a Tom Maior,desfila desde quanto,…).

Marcus: Conheci a tom Maior em 2002, quando o entao carnavalesco Eduardo Caetano me convidou para ser destaque, desfilei no acesso pela Tom Maior em 2002 ( Automovel a maquina do tempo ) e 2003 (Uma historia sem fim pois o mundo não acabou), mesmo sendo destaques em outras escolas.
Em 2004 e 2005 não desfilei pois estava em outra agremiação, e nao consegui conciliar, mas continuei indo a quadra pois ja tinha me simpatizado muito com a escola e com o nosso então presidente MK.
A partir de 2006 passei a integrar a escola definitivamente com a ida do Ruffinn que me convidou para ir com ele para a Tom Maior, apesar de estar na escola só voltei a desfilar em 2007 quando sai no abre alas, desfilei como destaque todos os anos até 2012, saindo em diferentes carros a cada ano.
Em 2009 o entao presidente MK me convidou para integrar a diretoria da escola como diretor de eventos e a partir de 2010 assumi o cargo de Diretor de Carnaval.
Com o seu falecimento além de diretor de carnaval a Presidente Luciana me pediu que prestasse assossoria.

2.  Como é se dividir entre diretor e destaque?

Marcus:Dizer que é fácil não é, mas o prazer que sinto é muito grande desfilo a 25 anos e  há pelos menos 18 como destaque então acabei pegando algumas manhas que facilitam isso, mas em 2012 foi minha despedida dos carros, vim no ultimo carro, prestando uma homenagem ao meu grande amigo e eterno presidente MK e a partir de agora vou me dedicar somente a diretoria.

3.  Durante todo esse tempo, fez alguma loucura para fazer sua fantasia? Considera qual a mais bonita?

Marcus: Na verdade acho que grande parte dos destaques fazem loucuras para terem as fantasias mais bonitas, os gastos são altos e sempre temos que abrir mão de alguma coisa , uma viagem de 1a., a troca de um carro, mas o prazer é sempre impagavel.
Gosto muito de todas as roupas, mas a que mais impactou foi a de 2009, quando utilizei mais de 1.200 faisoes naturais e a roupa ficou linda.

4. Na sua opinião, qual o carnaval inesquecível da Tom Maior ?

Marcus:Apesar da colocação não ter sido a esperada por alguns problemas que tivemos o Carnaval de 2009 foi lindo, emocianante marcou muita gente e o 2012 onde tambem mostramos toda nossa capacidade de superação ficando em 7o. lugar quando eramos cotados como a bola da vez, apos a morte do Marquinho.

5. O que considera de melhor e pior no carnaval de São Paulo?

Marcus:O Carnaval de São Paulo é maravilhoso, adoro… e nestes 25 anos que tenho nunca troquei por nada, a organização para o desfile é muito boa e as escolas cada vez mais tem apresentado um trabalho de altissima qualidade.
O que eu ainda acho que não é legal é sempre as escolas ” tidas como pequenas”, o que não é mais verdade isso,  serem sempre marginalizadas e sempre estarem sendo vistas como escolas que não podem chegar lá em cima, mas isso tenho certeza que nós vamos mudar  com muito trabalho dedição e principalmente amor por nosso Carnaval e por nossa escola,  logo estaremos mostrando que o Carnaval é igual pra todas.

Pâmella Gomes

  Nome completo: Pâmella Gomes

  Profissão: Modelo

  Cargo na escola: Princesa da Bateria

1. Fale um pouco da sua relação com a Tom Maior

Pâmella: Conheci a Tom Maior através dos meus pais que desfilam na escola desde 1993.

 

2.  Filha do primeiro casal, sobrinha da rainha, sobrinha do mestre de bateria, neta de uma das personagens da velha guarda… como foi a reação da familia quando você decidiu vir a frente da bateria? Sua fantasia sofre regras de uso? Ex. Fantasias pequenas são proibidas pela família ?

 Pâmella: Desde que entrei na escola  quando pequena sempre gostei de sambar, no segundo ano  em que estava na escola participei do concurso para corte mirim, onde ganhei o concurso como Rainha mirim da Bateria, como minha família já era da escola, adoraram  e sempre me apoiaram, fiquei 11 anos a frente da bateria, logo depois sai e virei destaque por 5 anos e no ano de 2011 recebi o convite para voltar a Corte da Bateria da Tom Maior. Em relação a minha fantasia não tem regra alguma (risos) é tranquilo, pois estamos em família.

 

4. Na sua opinião, qual o carnaval inesquecível da Tom Maior ?

Pâmella: O Carnaval de 2012 onde homenageamos nosso Eterno Presidente Marko, foi um desfile emocionante e inesquecível.

 

5. Deixe uma mensagem aos amigos da Tom Maior

Pâmella: Olá minha querida Comunidade Vermelha e Amarela, sou muito feliz por fazer parte desta família, ter amigos como vocês e pessoas queridas que tanto gosto, tenho orgulho de fazer parte da Corte da Bateria Sensação.  E vamos com tudo para o desfile 2013.

Frank Aguiar

 

 Nome completo: Francineto Luz de  Aguiar

 Profissão: Cantor

 Cargo na escola: Destaque

 

1. Fale um pouco da sua relação com a Tom Maior ( como conheceu a Tom Maior,desfila desde quanto,…).

 

Frank: A minha relação com a Tom Maior é de muito afeto, gratidão e admiração. Lá me sinto em casa, rodeado de amigos. Meu primeiro desfile foi em 2006, quando tive a honra de ser o enredo da Escola, e nunca mais consegui parar…

 

2.  Você foi enredo em 2006. Qual foi a sensação de ter sua vida contada na avenida?

 

Frank: Taí uma sensação impossível de descrever! Só quem já teve esse privilégio, essa suprema honra pode entender. Foi um momento sublime, único, uma emoção que guardarei para o resto da minha vida.

  

4. Na sua opinião, qual o carnaval inesquecível da Tom Maior ?

 

Frank: Não tem como não ser: o de 2006, claro!

 

5. Deixe uma mensagem aos amigos da Tom Maior

 

Frank: Como sempre dizia nosso inesquecível Marko: “Quem corre atrás do que gosta, não se cansa”! Então, vamos nessa, Tom Mairo. Todos juntos em busca, não só da vitória, mas de fazermos o nosso melhor Carnaval, com responsabilidade mas, principalmente, com muita alegria e diversão!

Rene Sobral

Nome completo: Rene de Lima Sobral

Profissão: Músico e Ator  

Cargo na escola: Intérprete

 

 

1. Fale um pouco da sua relação com a Tom Maior ( como conheceu a Tom Maior,desfila desde quanto,…).

 A Tom veio de um namoro que começou em uma eliminatória, qual defendi um samba finalista isso em 2003 (era da VaiVai),foi quando conheci o nosso querido Marko,e com a minha saida da Bela Vista e 2004 veio o convite pra integrar a ala musical da Tom, assim foi començando ,o namoro ficou a cada ano mais sério e apaixonado, noivamos e hoje Rene Sobral e Tom Maior vivem um casamento muito legal!

2.  Como é dividir sua vida artística com a vida de puxador de samba?

O lado ator veio depois então o Samba é minha prioridade! e tento manter os dois lados em harmonia pois um depende do outro.

 

3.  Hoje sua figura assosiou-se totalmente a Tom Maior, os componentes da escola não conseguem imaginar outra pessoa  cantando nossos sambas a não ser você. Como recebe esse carinho?

Fico muito feliz pois sou um Sambista a moda antiga e não gosto de ficar pulando de la pra ca, gosto de criar raizes e fazer hitória.

4. Na sua opinião, qual o carnaval inesquecível da Tom Maior ?

Ops pode ser dois! até o desfile deste ano tinha sido 2006.

 

5. De qual puxador de samba você é fã?

Saudoso Jamelão.

6. O carnaval de 2012 foi “diferente” para nossa escola. Suas orações, sua garra e poder de levantar a comunidade na concentração desse ano foi algo extremamente indescritível! Como foi lhe dar com a emoção naquele momento?

Até o momento tento entender tudo que rolou ali mas ainda estou digerindo, foi muita energia boa, muita luz, e  naquele momento foi o que me guiou em todo o desfile.

 

 

Marco Aurélio Ruffinn

Nome completo: Marco Aurélio Ruffinn
Profissão: Designer Gráfico
Cargo na Escola: Carnavalesco

 

 

1. Fale um pouco da sua relação com a Tom Maior ( como conheceu a Tom Maior,desfila desde quanto,…).

Ruffinn: Fui Contratado pela escola em 2005 para realizar o desfile para 2006. Me lembro com saudades que foi em um almoço com o Marquinhos presidente, o mestre Carlão e com o Meira vice presidente. Gostei muito da maneira profissional que foi conduzida a reunião e mais que isso, as pessoas me pareciam familiares….me senti super a vontade. Na semana seguinte, entre sacos de cimento, areia, blocos, a quadra virada de pernas pro ar,…fui apresentado à escola em um empuerado churrasco (estavam reformando mais uma nova quadra), ali senti a força da Tom Maior! As pessoas, o clima descontraído, a escola em si, foi amor a primeira vista. O ano de 2006 seria um dos mais difíceis. Lembro como hoje, a escola cheia de problemas, todos se descabelando, reclamando. Em uma mesa estava eu, Marquinhos,Soninha, Jadir, muito tarde da noite o Carlão e o Meira já tinham ido embora, eu num determinado momento bati na mesa e gritei para eles: Acreditem a escola tem potencial, ela é forte!…só de lembrar fico emocionado; pois naquele ano a Tom Maior brilhou como nunca. Esse casamento deu frutos e foram prêmios atrás de prêmios, e a cada ano a Tom se tornando mais forte. É essa a minha relação com a Tom Maior, respeito, afeto, amizade, pois toda a escola sabe que construímos uma história juntos. Mesmo afastado eu nunca estive distante, isso foi importante para ambos perceberem a real importância da palavra pertencimento.

 

2.Como começou sua história de carnavalesco?

Ruffinn: Todos sabem que desde os seis anos de idade desfilo em escola de samba, minha paixão vem desde esses tempos. Comecei minha carreira muito cedo, ainda na Universidade já era assistente do carnavalesco Raul Diniz na Unidos do Peruche. Com vinte quatro anos assinava meu primeiro carnaval como carnavalesco na Leandro de Itaquera, conquistando o 5º lugar. Passei por escolas como Acadêmicos do Tucuruvi, Império de Casa Verde, Tom Maior somando quase vinte anos de atuação no grupo especial.

 

3. Qual seu ídolo maior no carnaval?

Ruffinn: Raul Diniz, uma pessoa simples, honesta, digna e extremamente generosa. Quem realmente o conhece sabe o que estou falando.

 

5. Dentro de todo processo da criação do carnaval, o que mais gosta de fazer?

Ruffinn: O que gosto de fazer é carnaval, todo o processo me envolve.

 

6. Na sua opinião, qual o carnaval inesquecível da Tom Maior ?

Ruffinn: Piauí, foi mágico. Foi essencial fazer as malas e ficar 28 dias percorrendo o estado de cabo a rabo, e ver com meus próprios olhos a grandeza cultural dessa terra. Os amigos que fiz por lá,…Zé Nelson até hoje desfila conosco vem todo ano sem faltar . Sem falar dos amigos que fiz aqui devido a esse enredo, Ernane, Selma, Luiz Paulo, Tati e o filho mais ilustre do Piauí, Frank Aguiar. Conhecer a família deste cabra foi notável, a simplicidade e o carinho com que fui recebido não tem preço. Foi um carnaval memorável, onde a Tom Maior credenciou-se de fato à elite do carnaval de São Paulo.

 

7. O que espera para o carnaval de 2013?

Ruffinn: Estou preparando um espetáculo para 2013, o tema é rico e cheio de possibilidades, vibrei muito ao saber o assunto que iria abordar. Só fiquei com receio das interferências do patrocinador. Nesse sentido a parceria com a Prudence é uma relação de respeito de ambas as partes e o que é mais bacana a empresa não está interferindo na criação. Iremos falar do uso do preservativo de uma maneira leve e sutil, porém alegre e muito divertida. Estou cheio de idéias e com uma ótima expectativa porque acredito no que estou fazendo. Será um desfile brilhante!